Previdência Privada, vale a pena investir?

Quanto rende a previdência privada? Quanto pago de imposto?
Publicado em 26/06/2017
Atenção:Você poderá calcular a rentabilidade de sua previdência privada, levando em consideração, inflação, taxa de carregamento, impostos, etc, em nossa calculadora em calculatudo.com.

Vale a pena investir em previdência privada?

Se você pretende deixar seu dinheiro parado por mais de 6 anos, pode valer a pena. Para saber se realmente vale a pena, é preciso conhecer a taxa de carregamento e taxa de administração que seu banco cobra em sua previdência privada.

Taxa de carregamento

A taxa de carregamento é uma taxa eventualmente cobrada por seu banco sobre cada centavo que você investe na sua previdência privada. Sim, é um absurdo. Segundo eles, é uma taxa para custear todo o processo. Alguns Bancos chegam a cobrar até 4% sobre o valor investido a pretexto de taxa de carregamento. Esta taxa pode ser antecipada, ou postecipada. A taxa antecipada é cobrada IMEDIATAMENTE sobre cada investimento que você faz.

Suponha que a taxa de carregamento de seu banco seja 2%. Caso você faça, mensalmente, um investimento de 100 reais, apenas 98 reais irão para sua previdência privada. Os outros 2 reais você perderá automaticamente, neste caso de taxa antecipada.

Atenção:Uma taxa de carregamento antecipada de 2%, praticamente transforma a previdência privada em péssimo investimento. Portanto, se seu banco cobra taxa de carregamento antecipada de 2% ou mais, não contrate!

Ao invés de cobrar taxa de carregamento antecipada, o banco pode optar por cobrar esta taxa apenas se você realizar um resgate antecipado de sua previdência. Neste caso, a taxa recebe o nome de postecipada. Ou seja, taxa apenas será cobrada caso você resgate seu investimento antes de um prazo determinado. Neste caso, o investimento começa a ficar melhor. Ficou claro? A taxa postecipada não será cobrada se você mantiver seu dinheiro no investimento por um número determinado de anos. Então, basta deixar seu dinheiro investido por esta quantidade de anos, que você não pagará esta taxa.

Atenção:Caso o seu banco não ofereça de imediato esta possibilidade de isentar a cobrança da taxa de carregamento conforme o tempo de investimento, insista com seu gerente

Agora é preciso você refletir:

Existe muito risco de eu precisar deste dinheiro antes do prazo estipulado pelo banco para deixar de cobrar a taxa de carregamento?

Sua resposta pode ser:

"Sim, existe um grande risco de eu precisar deste dinheiro antes do período em que o banco deixaria de cobrar a taxa de carregamento."

"Não, existe um risco muito baixo de eu precisar deste dinheiro antes do determinado período"

Caso sua reposta seja SIM, então não faça investimento em previdência privada. Caso sua resposta seja NÃO, então, continue observando atentamente. Ainda é cedo para determinar se vale a pena.

O que acontece nos bastidores?

Nos bastidores de um plano de previdência privada existem fundos de investimento. Quando você contrata um plano de previdência privada, todo o dinheiro investido é transformado em cotas de fundos de investimento conforme sua orientação. A verdade é que, na maioria das vezes, o gerente de seu banco sequer explica que você tem a possibilidade de distribuir o dinheiro investido em seu plano de previdência em algumas modalidades de fundos de investimento. Você pode escolher colocar, por exemplo, um percentual do dinheiro em fundo de renda fixa, outro percentual em um fundo misto, mais arrojado que o primeiro, que possa render mais, porém com maiores riscos. E o restante em um fundo muito mais arrojado que os dois anteriores. Você distribui estes percentuais conforme seu gosto. Eu, particularmente, prefiro colocar 100% em fundo de renda fixa, em minha previdência privada.

Eu não gosto de correr riscos? Em minha previdência privada, não. Eu corro muitos riscos quando compro e vendo ações. Aliás, é minha modalidade favorita de investimento. Compra de ações e lançamento de opções. Mas em minha previdência privada não quero correr riscos.

E por que estamos conversando sobre isso?

Porque você tem que perguntar ao seu gerente qual é a taxa de administração destes fundos de investimento que estão funcionando nos bastidores do plano de previdência privada. Principalmente, quais são as rentabilidades líquidas destes fundos. Rentabilidade líquida é a rentabilidade já excluindo a taxa de administração cobrada pelo banco.

Cuidado com o Pecúlio

Alguns gerentes de banco acabam incluindo no plano de previdência uma figura chamada pecúlio. Toda vez que você observar alguma coisa com nome diferente em algum contrato com seu banco, tenha certeza de que não é coisa boa! Os bancos costumam colocar nomes pouco sugestivos naquilo que é ruim. Por exemplo, a tal taxa de carregamento. Ninguém entende o que é o carregamento. Ela não passa de uma taxa de depósito. Mas se o banco colocasse de forma tão evidente que ele está cobrando um percentual por cada depósito, o cliente não aceitaria.

Com o pecúlio é a mesma coisa. O pecúlio é um seguro. Seu gerente embute um seguro dentro de seu plano de previdência. Suponha que você esteja depositando 200 reais por mês em seu plano de previdência. E suponha que o pecúlio seja 30 reais. Isto significa que apenas 170 reais estão realmente indo para seu investimento. Os 30 reais do pecúlio vão direto para os cofres do banco e você nunca mais os verá. Claro que se você morrer sua família poderá receber o sinistro, caso sua morte tenha atendido às cláusulas do seguro.

O problema é que seu gerente não avisa que você está contratando um seguro dentro de seu plano de previdência. Ele simplesmente comenta que existe um pecúlio de 30 reais, 50 reais, etc. Muitas vezes o cliente nem compreende que estará pagando estes tantos reais. Separe as coisas! Se você não tem interesse em contratar um seguro de vida, deixe claro para seu gerente que não deseja o tal pecúlio.

Quando vale a pena investir em plano de previdência privada?

Vale a pena investir em previdência privada, quando você combina os 3 fatores seguintes:

1 - O fundo de investimento que funciona nos bastidores de sua previdência privada DEVE TER rentabilidade compatível com os melhores fundos de investimento oferecidos pelo mercado. Se o plano de previdência oferecido a você não tiver um histórico de boa rentabilidade, não vale a pena.

2 - Apenas vale a pena se seu banco não cobrar taxa de carregamento antecipada.

3 - Só vale a pena se você acreditar não correr o risco de precisar resgatar seu dinheiro por, pelo menos, o período necessário para isenção da taxa de carregamento postecipada. Mas, de preferência, 6 anos. Por que 6 anos? Explico daqui a pouco.

Existe também a possibilidade de valer a pena, mesmo que você não consiga combinar os 3 fatores acima. Vamos ver mais adiante sobre o PGBL, para o caso de contribuições de até 12% da sua renda bruta anual. Não se preocupe com isto agora. Irei explicar mais adiante.

O que é VGBL e PGBL?

As siglas são arbitrárias e não significam coisa alguma. VGBL, Vida Gerador de Benefício Livre. PGBL, Plano Gerador de Benefício Livre. Como eu disse, seus significados, por si só, não explicam coisa alguma. Mas vamos explicar a diferença entre eles.

A diferença é essencialmente tributária. Vamos observar em detalhes:

PGBL

1 - O valor investido pode ser deduzido da base de cálculo de sua declaração anual de imposto de renda. Esta dedução está limitada a 12% de sua renda bruta anual.

2 - No futuro, ao realizar resgates de seu plano de previdência, a base de cálculo do imposto a ser pago na data do resgate é integralmente o próprio valor resgatado.

Como assim?

Vamos lá. Se em determinado ano você investiu R$ 6.000,00 em seu plano de previdência (PGBL), você poderá deduzir este valor da base de cálculo de seu imposto de renda. Mas para deduzir estes R$ 6.000,00 você precisa ter uma renda bruta anual de, pelo menos, R$ 50.000,00. Isto porque você só pode deduzir até 12% de sua renda bruta anual.

R$ 50.000,00 x 12% = R$ 6.000,00

Agora suponha que sua renda bruta seja de R$ 30.000,00 e você mantenha o investimento de R$ 6.000,00 em seu plano de previdência (PGBL). Neste caso, você precisa urgentemente chutar a canela de seu gerente e trocar de banco. Isto porque com uma renda bruta anual de 30 mil, você só poderá deduzir até R$ 3.600,00 de seu imposto de renda. Significa que, investindo R$ 6.000,00, você investirá R$ 3.600,00 com a dedução na base de cálculo de seu imposto de renda e outros R$ 2.400,00 sem qualquer benefício de dedução de imposto.

Ou seja, você pagará normalmente o imposto de renda sobre os R$ 2.400,00. Mas, no futuro, ao resgatar estes R$ 2.400,00, você pagará NOVAMENTE imposto sobre este mesmo dinheiro. Porque no PGBL a base de cálculo do imposto é TODO valor resgatado.

De forma que não faz sentido algum você investir em PGBL acima dos 12% da sua renda bruta anual.

Atenção:Esta dedução na base de cálculo só é permitida se você TAMBÉM contribui para o INSS. Caso você não contribua para o INSS você não poderá deduzir suas contribuições da previdência privada na base de cálculo de seu imposto de renda.

Portanto, PGBL só vale a pena para quem faz declaração completa do imposto de renda e contribui para o INSS. Se você se enquadra neste público alvo, este investimento se torna muito atrativo. Preste atenção! Para este público alvo, pessoas que fazem declaração completa e contribuem para o INSS, investir em PGBL é adiar o pagamento de imposto. Ao invés de você pagar o imposto agora, você adia o pagamento do imposto de renda por anos. Este dinheiro rende durante todos os anos, e no fim, você pode realizar o pagamento com alíquota menor do que aquela que seria aplicada se você tivesse realizado o pagamento integral de seu imposto de renda. Vamos conversar mais adiante sobre a tabela regressiva.

VGBL

1 - Não pode ser deduzido na declaração de imposto de renda.

2 - A base de cálculo do imposto é a rentabilidade.

Esta modalidade de plano de previdência não permite dedução na base de cálculo de sua declaração de imposto de renda. Mas, em contrapartida, quando você realiza um resgate, o imposto de renda é calculado tomando como base de cálculo apenas a RENTABILIDADE de seu investimento. Esta é a modalidade indicada para todos que não fazem a declaração completa do imposto de renda, ou, para aquelas pessoas que já contribuem com 12% de sua renda bruta anual em um plano PGBL, mas, pretendem continuar investindo em previdência privada.

Em nosso exemplo anterior, vimos uma pessoa que ganha R$ 30.000,00 anuais e pretendia investir R$ 6.000,00 por ano em previdência privada PGBL. Calculamos que seria um péssimo negócio, uma vez que apenas R$ 3.600,00 poderiam ser deduzidos da base de cálculo do imposto. Os outros R$ 2.400,00 seriam investidos sem qualquer dedução na base de cálculo. Neste caso, o correto seria investir apenas os R$ 3.600,00 na modalidade PGBL. Os outros R$ 2.400,00 seriam investidos em um segundo plano de previdência, de modalidade VGBL. Compreende? Já que, para estes R$ 2.400,00, não haverá dedução na base de calculo de seu imposto de renda, então, é melhor investir em VGBL. Desta forma, no futuro você pagará imposto apenas sobre a rentabilidade.

Tabela Regressiva definitiva x Progressiva

Ao fazer um plano de previdência você poderá optar por pagar imposto seguindo a tabela regressiva definitiva ou a progressiva. E qual é a diferença?

Tabela Regressiva Definitiva

Pela tabela regressiva, quanto mais tempo você deixar seu dinheiro parado em seu plano de previdência, menos imposto você pagará ao resgatar. Observe a tabela:

Até 2 anos35%
Entre 2 e 4 anos30%
Entre 4 e 6 anos25%
Entre 6 e 8 anos20%
Entre 8 e 10 anos15%
Acima de 10 anos10%

Perceba que se você retirar seu dinheiro antes de 6 anos, pagará muito imposto. Apenas opte por esta tabela se tiver uma grande chance de você não precisar deste dinheiro antes de 6 anos.

Tabela Progressiva

Caso você opte pela tabela progressiva, você irá pagar imposto conforme a famosa tabela do imposto de renda. Mas, na prática, funcionará assim:

No momento do resgate, você pagará imposto de renda a uma alíquota de 15%. Quando você fizer sua declaração de imposto de renda, este resgate constará como uma "renda" que você obteve no período, aumentando sua base de cálculo em sua declaração. A partir de então, o programa calculará seu imposto de renda normalmente, levando em conta que você já pagou, antecipadamente, aqueles 15% de imposto. Portanto, o sistema irá somar suas rendas anuais a este resgate para formar a base de calculo de seu imposto de renda. O que pode fazer com que você seja tributado pela alíquota máxima da tabela de imposto de renda.

Portanto, para aqueles que tem um rendimento anual alto, esta modalidade de tributação pode acabar sendo muito onerosa. Para aqueles que tiverem uma renda anual baixa, esta modalidade pode acabar, inclusive, ficando isenta de impostos e restituindo os 15% que foram cobrados anteriormente.

Atenção:Caso você já esteja recebendo a "aposentadoria" pelo seu plano de previdência, ou seja, não se trata de um mero resgate esporádico, então, neste caso, o imposto é baseado na tabela de imposto de renda. Não existe a antecipação dos 15%

Quanto rende um plano de previdência?

Como falamos acima, a rentabilidade do plano de previdência é a rentabilidade do fundo de investimento que funciona em seus bastidores. Você deve perguntar pedir ao seu gerente o histórico de rentabilidade do fundo (ou dos fundos) de investimento que atuam nos bastidores de seu plano de previdência. Ao mesmo tempo, você deve observar a existência ou não de taxa de carregamento, que prejudica imensamente a rentabilidade de seu investimento.

Para facilitar suas contas, nós desenvolvemos uma calculadora de rentabilidade para cada modalidade de investimento. Esta calculadora leva em conta, inclusive, os impostos que você irá pagar e a taxa de carregamento.

calculatudo.com/calcula/previdencia

Lá você poderá simular e comparar os diversos tipos de investimento para observar aquele que é mais interessante para você.

Talvez seja de seu interesse
36,20 ms